1.a) Metafísica do amor, espaço e tempo

As características mais relevantes da 2ª edição do livro A Equação do Amor foram o aprofundamento das ideias iniciais e a modificação de elementos imprecisos que acompanharam meus pensamentos sobre a física relativística.

Nas edições subsequentes, a intenção foi localizar os diferentes conteúdos, problemas e pontos de vista sobre os principais conceitos da física pós-moderna em diferentes livros.

Para evitar interpretações errôneas, os livros foram agrupados em duas coleções, com base no caráter experimental metafísico ou científico do livro, na dificuldade matemática, no assunto ou na apresentação na Internet.

A primeira coleção tem dois livros. Este livro sobre a metafísica do amor, espaço e tempo e jogos matemáticos que podem ter implicações no mundo da física ou, pelo menos, mostra-nos que a matemática pode ser aplicada a quase tudo e perder quase todo o seu significado científico.

O segundo, com os cinco livros de uma teoria de tudo, Física Global.

Por outro lado, é importante esclarecer que para falar de Mecânica Quântica, da Teoria da Relatividade ou da teoria do todo não é preciso ser um gênio da matemática nem saber tensores. Assim como para falar de evolução não é preciso saber biologia molecular, para falar de filosofia não é preciso ter estudado na universidade ou para falar de religião fazê-lo em latim.

Um resumo dos dois livros deste primeiro grupo sobre metafísica é:

  • A Equação do Amor.

    Neste primeiro livro misturam-se as perspectivas da ciência moderna e da metafísica, para além da introdução sobre a relatividade do amor existem dois títulos dedicados ao tempo e à Equação do Amor e à gravidade respectivamente.

    Um dispositivo na linha do tempo como algo real e subjetivo, em oposição ao caráter imaginário do tempo na Física Moderna.

    O título III enfoca a Equação do Amor, a gravidade de Newton e suas inter-relações com a equação de Einstein da equivalência massa-energia - original de Olinto de Pretto.

    • Na primeira parte discute-se a fórmula matemática e o seu significado de seus termos.

    • Na segunda parte deduz-se da fórmula anterior a equação da gravidade subjetiva e o seu significado em termos da ciência da Metafísica Global.

    Por outras palavras, a nova teoria física tenta repor no âmbito da filosofia a correta dualidade da realidade subjetiva e objetiva, separando-as de outras realidades, digamos, imaginárias. Isto não quer dizer que as realidades imaginárias não sejam corretas em certa medida, mas sim que não correspondem à forma standard, comum e mais simples do funcionamento da lógica humana e, consequentemente, do método científico.

    As soluções imaginárias podem ter um efeito a médio e longo prazo bastante contraproducente, pois impedem o raciocínio sobre os mecanismos reais, ao ocultá-los detrás do véu de uma solução parcial; normalmente ad hoc, ainda que não se reconheça.

    O livro acaba com uma rápida recapitulação sobre filosofia, ciência e religião, dado que as fórmulas nos permitem efetuar diversas interpretações a partir de diferentes pontos de vista, especialmente a partir do objetivo e do subjetivo, ajudando nossas mentes a entender melhor suas próprias limitações.

    Iluminação Don Magufo
    Iluminação de Dom Magufo

    Também se revela o conteúdo de uma interpretação das fórmulas a partir de uma óptica familiar, como exemplo de possíveis tratamentos da iluminação.

    “Chamaram-me do céu
     dizendo que estão procurando um anjo;
    mas fica tranquilo,
    que eu não te atraiçoei. :) ”

    Recentemente, Dom Magufo recebeu uma mensagem de texto muito carinhosa procedente da nebulosa Carina, que reproduzimos por ser simpáticos e porque algo terá que ver com a Física Clássica e a nova equação estudada.

    Para fazer participar o leitor expõe-se a Adivinha da Gravidade, de um marcado caráter intuitivo. Não obstante, a resposta dá-se a conhecer antes de que o leitor possa pensar e chegar a confirmar as suas suspeitas infundadas.

  • Teoria da Relatividade, Elementos e Crítica.

    Como não podia deixar de ser, o livro contém uma análise do contexto histórico e das causalidades despistastes que fizeram com que se aceitasse a Teoria da Relatividade.

    Depois, o livro inclui os postulados e princípios básicos, com a oportuna crítica científica e filosófica.

    Este livro de metafísica comenta os erros de conceito e de interpretação das múltiplas experiências que afirmam demonstrar a teoria da Relatividade; sobretudo das experiências mentais que não correspondem à realidade e que os cientistas citam porque não dispõem de experiências melhores.

    Por último, existe um apartado sobre Relatividade Geral e a sua relação bipolar com a Relatividade Especial na medida em que a complementa e contradiz com uma impossível simultaneidade, de forma que parece irrealizável poder contradizer as duas ao mesmo tempo, se uma não é um verdadeiro especialista no campo.

 

* * *