MOLWICK

Teoria sintética e Pontualismo

A Teoria Sintética da Evolução ou Síntese Moderna e a Teoria do Equilíbrio Pontual ou Pontualismo podem ser incluídas no Neodarwinismo Moderno.

Capa livro ECV. Cavalos-marinhos e peixes dourados.

EVOLUÇÃO CONDICIONADA
DA VIDA

FILOSOFIA E CIÊNCIA

Autor: José Tiberius


 

9.d.1. Neodarwinismo

A teoria neodarwiniana mas uma teoria é uma corrente científica incorporando os avanços da ciência relacionados com a evolução e biologia, como as Leis de Mendel, mas continua a negar a influência do ambiente ou o desenvolvimento interno dos seres vivos do ónus da informação genética.

Em definitivo, qualquer teoria evolucionista que mantenha as mutações aleatórias e a seleção natural como principais mecanismos da evolução estaria enquadrada dentro do Teoria Neodarwinista. Este seria o caso tanto da Síntese Moderna como da Teoria do Equilíbrio Pontuado ou Pontualismo que se comentam em seguida.

Uma análise crítica da Teoria de Neodarwinismo encontra-se no título III.

 
 

9.d.2. Teoria Sintética da evolução e Pontualismo

Moderna teoria da evolução que incorporava os últimos avanços da ciência em biologia e genética. Se o Neodarwinismo inicial integrava explicitamente as variações aleatórias dentro da população, a Teoria Sintética da evolução incorpora as mutações da informação genética. Esse mecanismo, juntamente com a seleção natural, produz a evolução no seu conjunto.

Pequeño Senegal (Teresa Pérez Barrasa)
Imagem de uma aldeia com árvores. Little Senegal por T.P. Barrasa.

A Teoria Sintética da evolução, Síntese Moderna ou Síntese Evolutiva surgiu a mediados do século XX das ideias de três autores especializados em ramos diferentes da evolução Theodosius Dobzhansky em genética, Ernst Mayr nas espécies de seres vivos e George G. Simpson nas grandes categorias dos organismos.

A diversificação surge lentamente, normalmente através de mudanças graduais, e provém da especialização. Estaria, portanto, dentro da corrente do Gradualismo, como a Teoria de Darwin.

As diferenças importantes da Teoria Sintética da evolução com a Teoria de Darwin podem resumi-las nas seguintes:

Em suma, a teoria sintética mudou grandemente a evolução dos seres vivos para a evolução das suas componentes internos, mantendo a mesma filosofia emergentista.

Não obstante a posição da Teoria Sintética da evolução, na atualidade continua a existir a controvérsia devida ao registro fóssil em relação aos saltos evolutivos; sobre o qual não há uma postura clara dentro da comunidade científica.

A corrente contrária denomina-se Saltacionismo.

Trata-se das velhas posturas defendidas pelo genético Richard Goldschmidt e o paleontólogo Otto Schindewolf de evolução por saltos. Na mesma linha, mais recentemente apareceu a Teoria do Equilíbrio Pontuado devida às contribuições, desde a paleontologia, de Niles Eldredge e Stephen Jay Gould em 1972; esta incorpora a seleção entre espécies à seleção entre indivíduos darwiniana.

Ainda que a Teoria de Darwin original se enquadra no Gradualismo, em princípio também não é totalmente contrária ao Saltacionismo, ou seja, tanto a Teoria Sintética ou Síntese Evolutiva como a Teoria do Equilíbrio Pontuado ou Pontualismo pertencem ao que geralmente se conhece como Neodarwinismo.

Uma análise crítica da Teoria Sintética encontra-se no título III.

 
 

9.e) Evolução Condicionada da Vida

CEL é uma teoria totalmente científica baseada na premissa de que a vida tem uma tendência intrínseca de expandir a esfera da liberdade usando a evolução dentro de condições ambientais e lógicas, o que indiretamente implica a presença de força de vontade. Significa que algo "pequeno" funciona desde a origem da vida.

A definição, características e principais conclusões desta teoria evolucionista encontram-se expostas no título 5 deste livro.

Em relação à discussão entre Saltacionismo e Gradualismo, a ECV é uma teoria que aceita e explica os saltos evolutivos como grandes e rápidas mudanças da estrutura da informação genética resultante da união de várias linhas evolutivas para permitir um maior desenvolvimento, normalmente novas espécies. Por outras palavras, os saltos evolutivos são consequência lógica da evolução dos sistemas de impulso vital.

 

* * *

 
 

 

 

 

Quando Goblin acabou o livro,
Mª José disse-lhe:

–Parece que tens fobia aos gênios,
eliminaste Einstein e Darwin.

E Goblin respondeu:

–¡Nada disso!
Tinha preferido eliminar um par de bruxas.
Além disso,
acho que nisto estaria de acordo com Darwin:
"é curioso ver como alguns animais negam
a inteligência dos outros animais"