2. COMPOSIÇAO E ESTRUTURA DA MATÉRIA

O desenvolvimento da Física Global efetuado pela Mecânica Global confirma o novo paradigma, ao unificar as quatro forças fundamentais, como resultado dos diferentes estados da composição, constituição ou agregação da matéria essencial ou éter global.

O primeiro problema que se coloca na hora de apresentar o novo modelo da constituição da matéria é de caráter terminológico. A definição de matéria não é única, utiliza-se em muitos sentidos, mas a sua estrutura última continua a ser desconhecida para a Física Moderna.

A definição de matéria está em contínua evolução à medida que se conhecem mais as características e propriedades dos componentes da matéria agregada ou que se vão descobrindo novas partículas elementares da estrutura da matéria.

O conceito de matéria é inclusivamente diferente em algumas páginas da Wikipédia em inglês e da Wikipédia em espanhol, para dar um exemplo. Para evitar confusões entre as diferentes acepções, a Mecânica Global define a matéria em geral como o único que tem entidade na realidade física do nosso mundo, em clara oposição a qualquer conceito abstrato, matemático, imaginário ou mágico.

Se antes da constituição da matéria era a massa, agora é a massa a que é constituída por matéria. Não obstante, na maioria dos casos se tentará falar da estrutura da matéria ou éter global para eliminar qualquer dúvida em relação ao conceito referido.

A palavra éter tem uma conotação muito negativa na comunidade científica desde a consolidação da Relatividade Geral. No entanto, há uma unanimidade quase total da realidade de sua existência, ainda que normalmente não se tente uma síntese de suas possíveis propriedades.

O próprio Einstein já apontou que o espaço-tempo poderia ser um tipo de éter se tivesse propriedades mecânicas. E não há dúvida de que, se o espaço-tempo assume um limite físico para a velocidade, é porque possui propriedades mecânicas que afetam a velocidade, de acordo com o princípio Mach.

Quando Einstein disse que "a massa produz uma distorção no espaço-tempo", ela era na verdade uma tautologia porque sabemos que a massa gera o campo de gravidade no espaço e que a força da gravidade vem do campo de gravidade. Portanto, o campo gravitacional é igualado à distorção do espaço-tempo e continuará a provocar a força da gravidade.

A diferença com Newton é que Einstein introduz a energia como um elemento capaz de interagir ou gerar uma distorção adicional do espaço-tempo –embora sem muita clareza conceitual. Outro aspecto é que a nova terminologia espaço-tempo adiciona um efeito melodramático no melhor dos casos.

Vamos ver os sinônimos e outros conceitos usados ​​pela comunidade científica para evitar as expressões clássicas de éter gravitacional e luminífero.

  • Sinônimos.

    Entre os muitos sinônimos podemos citar os mais conhecidos.

    • Fábrica de espaço-tempo –fabric of space-time.
    • Espuma quântica –foam-like structure.
    • O tecido da realidade –the texture of reality.
    • Espaço granular –grains of space.
    • Espaço quântico –quanta of space.
    • Tipo de rede –a kind of net loops « loop quantum gravity ».
    • Vácuo Quantum –que não está vazio.
    • Teoria das cordas –strings.
  • Campos matemáticos com propriedades mecânicas.

    Supõe-se que a origem dessas propriedades não é nem mágica nem divina, nem de fórmulas escritas em papel.

    • Campo de gravidade.
    • Campo eletromagnético.
    • Campo Higgs.
    • Campo forte.
  • Quase-partículas.

    A Wikipédia os define como "Na física, uma quase-partícula é uma entidade de um tipo particular que pode ser identificada em certos sistemas físicos de partículas que interagem."

    Observando os numerosos tipos de quase-partículas ➹, podemos intuir que o conceito corresponde aos fatos devido às forças elásticas do éter; como o conhecido efeito Casimir, as forças de Van der Waals ou as forças de dispersão de London.

  • Forças fictícias.

    Eles se referem aos efeitos da inércia, mas sua origem não é explicada. Sabe-se que eles agem, mas é até renunciado a propor possíveis modelos explicativos das forças fictícias. ➹ Sem dúvida, há algo que tem propriedades mecânicas, pois afeta o movimento da massa.

     A única explicação ortodoxa é que eles são devidos à aceleração do sistema de referência não inercial; isto é, outro conceito matemático.

Por outro lado, há dois conceitos abstratos dos que se poderia dizer que a sua natureza ou realidade conceptual é um elemento essencial da Física, refiro-me ao espaço e ao tempo. Por outro lado, há dois conceitos abstratos dos que se poderia dizer que a sua natureza ou realidade conceitual é um elemento essencial da Física, refiro-me ao espaço e ao tempo. Deve-se enfatizar que conceitos abstratos não podem ter propriedades mecânicas por definição.

Falar de um espaço-tempo com propriedades mecânicas é uma metáfora conceitual –aplicar as propriedades das coisas aos conceitos abstratos– e, de fato, se refere a um tipo de éter gravitacional ou cinético.

No livro da Dinâmica Global expõem-se as características de ambos conceitos. A geometria espacial estará determinada pela geometria euclidiana ou geometria grega. O tempo configura-se como uma função monótona, crescente, contínua e constante utilizada para explicar duas realidades distintas e definir posteriormente o movimento da matéria nos seus distintos estados de agregação.

Voltando à pergunta do que é a matéria, independentemente de que no futuro se chegue a uma análise mais profunda e detalhada da realidade física, atualmente pode argumentar-se que existe uma partícula elementar de que são compostas todas as restantes; a referida partícula elementar, a Física Global denominou-a éter global. Por outras palavras, o éter global é a partícula elementar daquilo que é matéria e, portanto, será o único elemento como suporte da gravidade, a massa e outros estados de agregação.

Éter global Suporte da gravidade, energia cinética e massa
Desenho do éter global ou cinético com simetria total

A estrutura da matéria compreende múltiplos estados da mesma, mas a análise vai dirigir-se principalmente a umas poucas categorias genéricas, como as citadas de gravidade e massa. Obviamente, também se abarcarão as propriedades de referidos estados de agregação, como a velocidade, a força ou a energia.

Agora vamos tratar de criar o mundo que conhecemos só com a estrutura reticular de matéria ou éter global. O processo será ir acrescentando características e propriedades aos diferentes estados de agregação da matéria em geral. A intenção é conseguir um modelo global das quatro interações fundamentais que inclua o conhecimento científico válido e acumulado; ou seja, excluindo a maior parte da Teoria da Relatividade Geral e determinados aspectos da Mecânica Quântica, como a descontinuidade da matéria.

Como não podemos detectar diretamente a estrutura da matéria no seu primeiro estado de agregação ou gravidade utilizarei um microscópio holhológico (não confundir com um microscópio lógicoolho) que nos permita facilitar a explicação das suas características e propriedades. Claro que se poderia dizer que se detecta por todos os lados, mas que não se sabe interpretar a sua presença devido ao paradigma imperante da Física Moderna.

Recorrendo à metáfora de um teatro sem atores e um recinto sem público, o espaço seria como uma enorme piscina sem água; ou seja, o espaço é independente da água, do éter global, do tempo, de tudo, visto que é um conceito abstrato e como tal não tem existência física, não tem nem água nem éter nem nada.

A imagem apresenta em primeiro plano uma capa da composição ou estrutura da matéria com uma simetria total inexistente na realidade física, pelo menos por agora. Talvez exista nos espaços intergalácticos. A única coisa que se fez foi encher a piscina com o éter global, parece-se à estrutura da matéria para o caso da gravidade, ao mostrar a sua natureza reticular; mas ainda não introduzimos a simetria radial típica da gravidade.

Na página seguinte comentam-se as propriedades gerais da matéria e, posteriormente, as propriedades da matéria específicas para os seus diferentes estados de agregação, como a gravidade, o eletromagnetismo e a massa.